Amo Muito Cinema – Review de Perdido em Marte

Vocês sabem que eu adoro cinema, né?

Pois é. Esse fim de semana fui ver um filme que estava esperando muito, o Perdido em Marte.

Então, precisava vir dizer pra vocês o que achei, porque o filme é muito joia!

Vamos começar do começo?

Tenho que começar dizendo que esse filme é do Ridley Scott, um diretor muuito conhecido pelos seus filmes de ficção científica, como Blade Runner, Alien (todos eles, inclusive Prometheus), mas também conhecido por clássicos como Thelma e Louise, Gladiador e Falcão Negro em Perigo.

O cara é fera.

E Perdido em Marte não deixa a desejar.

Eu não sou muito fã de ficção científica, mas gosto quando o filme deixa a gente meio sem fôlego no espaço, sabe como é?

Esse filme é uma adaptação do Livro de Andy Weir, e a história é mais ou menos assim: tem uma missão da NASA em Marte, pra colher amostras e dados e, de repente, uma tempestade muito forte obriga os astronautas a abortarem a missão.

Mas no meio do caminho em direção à nave, um negócio lá se solta e bate no Matt Damon, que acaba desmaiando e sumindo e os outros acham que ele morreu e vão embora.

Só que, tchã tchã tchã tchã, Matt Damon não morreu. Uma mistura de coisas improváveis fizeram com que ele sobrevivesse e ele acabou ficando sozinho em Marte, com provisões para penas por 30 dias.

A partir daí, o filme mostra como ele se vira para sobreviver em Marte, como ele encontrar uma forma de se comunicar com a Nasa e os conflitos entre o alto escalão da organização pra descobrir como resgatá-lo.

O mais legal do filme é o clima dele, porque qualquer um pensaria que é um dramalhão, tipo Náufrago, mas, na verdade, o filme é divertido, com piadinhas nos lugares certos, que mostram os momentos difíceis, mas sempre com um toque de humor.

O personagem do Matt Damon é todo espirituoso e há poucos momentos em que a gente realmente vê o desespero dele de estar completamente sozinho em um planeta, sem comida ou água.

Ele passa o filme todo fazendo uma espécie de vlog, pra registrar todas as tentativas e experimentos que ele faz pra sobreviver num lugar em que nada cresce e isso é muito legal, porque é como se ele estivesse falando com a gente o tempo todo.

E, sim, ele consegue plantar batatas e “fazer” água em Marte! O cara é foda!

Como eu disse, o filme é tenso e divertido ao mesmo tempo, tem algumas coisas meio malucas, teorias mirabolantes de como salvá-lo, tentativas frustradas e todas as milhões de maneiras como tudo pode dar errado no espaço.

Não é um filme pra gente sair tenso e triste do cinema, não é um filme pesado, é um filme pra cima, pra elevar a moral da NASA, pra gente ficar sempre com aquela esperança de que é possível viver lá fora no espaço e que somos capazes de fazer qualquer coisa.

Isso sem falar na “coincidência” da NASA liberar a informação de que encontraram água em Marte, bem na semana de estreia do filme! Hein, hein! Espertinhos..

Enfim, é um filme que vale a pena assistir no cinema!

Vou deixar o trailer aqui só pra dar um gostinho do filme, tá bem?

E, aí? Gostou do trailer? Ficou com vontade de ver o filme?

E se você já viu, deixa um comentário dizendo o que você achou!