Não procure sua paixão, procure o que te empolga

Eu falo muito aqui no VMC em viver a sua paixão, em criar uma vida ao redor do que você ama, procurar ou criar um trabalho que reflita as suas paixões e que te possibilitem a viver o estilo de vida que você quer ter.

Aí você vai me dizer: Mas, vem cá, agora você tá me dizendo pra não procurar pela minha paixão? E como eu fico agora que estou tentando achar minha paixão aqui?

Caaalma, calma, não se avexe.

Não estou dizendo pra você parar de procurar pela sua paixão. Estou só tentando tirar um pouco a pressão dessa procura, diminuir um pouco as expectativas dessa descoberta.


Paixão: a descoberta!

Porque estou falando em não procurar paixão, mas o que te empolga?

Por uma razão muito simples: encontrar sua paixão é quase uma missão impossível!

Ninguém tem uma paixão só, ninguém gosta só de uma coisa. Eu mesma amo muitas coisas, fazer pães, desenhar, design, séries, filmes, livros, escrever, tecnologia, ilustração, moda, produtividade, desenvolvimento pessoal, aprender novas línguas e assim vai.

Então, quando a gente tá procurando a nossa paixão, é mais provável que o resultado final seja uma lista gigante de coisas que você ama, porque, sinceramente, encontrar aquela única paixão que vai mudar tudo na sua vida é uma ilusão.

E aí começa outro dilema, porque a gente não sabe qual escolher, já que não existe nenhum critério pra começar saber qual paixão é a certa.

Como, normalmente, todas as paixões tem o mesmo peso dentro da gente, mesmo que a gente faça um sorteio pra escolher uma e começar pra começar um projeto, fica sempre aquela sensação que outra também podia dar certo e que estamos deixando coisas que amamos de lado.

O medo da incerteza da escolha dói muito dentro da gente e o que dói ainda mais é ficar pensando que nós temos outras paixões que não estão sendo exploradas.

E por isso que falo em procurar o que te empolga ao invés da sua paixão.

07.20 - 03O que te empolga: um critério

Quando falo pra você procurar o que te empolga, é porque, mesmo que amemos todas as nossas paixões com a mesma força e que todas tenha o mesmo peso dentro de nós, cada uma tem um jeito de se expressar pra gente.

Por exemplo: eu adoro fazer pães nos finais de semana e até mesmo descobrir novas receitas, fazer testes, criar combinações, mas não tenho saco pra fazer pão todo dia. Por outro lado, escrever é algo que adoro fazer todos os dias, produtividade faz parte de mim e desenvolvimento pessoal é algo que vejo como uma atividade. São todas coisas que me empolgam.

Eu vejo essas três coisas com muito mais empolgação do que fazer pães, apesar de todas serem paixões minhas.

Deu pra entender?

Falar em sua paixão é muito bonito, mas não ajuda muito a sair do lugar na hora de escolher e é aterrorizante. Imagina só você ter que responder uma coisa só pra pergunta: “Qual a sua paixão?”. Eu hein.

Quando você pensa no que te empolga de verdade dentre todas aquelas coisas que você colocou na lista de coisas que você ama fazer, fica menos aterrorizante fazer uma escolha, porque é mais fácil você perceber dentro de você mesmo quando você se empolga ou não com uma coisa.

07.20 - 02
E pra escolher?

Além disso tudo, você diminui um pouco as expectativas do resultado.

Como tá muito na moda falar em seguir a sua paixão, trabalhar com sua paixão, viver do que ama, a gente fica com a impressão de que na hora que você começar a fazer aquilo que ama, tudo vai dar certo, os planetas vão se alinhar e você vai ficar rico.

Não é bem assim e a gente sabe.

Quando a gente pensa naquilo que empolga a gente, fica mais fácil ser realista e, apesar de você ficar excitado pra fazer aquela atividade e transformá-la em uma fonte de renda, você sabe que vai ter que trabalhar duro, vai ter que colocar a mão na massa de verdade.

As coisas deixam de ser um conto de fadas, pra virar uma história de verdade, com você como protagonista, ultrapassando todos os obstáculos pra fazer seus sonhos virarem realidade.

E mais! Fica muito mais fácil deixar uma coisa que te empolga de lado.

Sim, porque grande parte de viver a vida que você deseja é saber o que deixar de lado.

Quando você está tentando uma paixão, fica difícil reconhecer que não tá dando certo e que o caminho não é aquele. Ficamos com o ego ferido e recomeçar parece algo impossível.

Já quando você percebe que escolheu o que te empolgava que não em um retorno muito bom para todo o trabalho que você tem, é mais fácil abrir mão daquela atividade e reconhecer que talvez não tenha sido a melhor decisão.

Era só uma coisa que te empolgava. Agora você pode tentar a próxima da lista.

Fica mais leve, não?

Aah, esse vídeo é muito legal e tem tudo a ver com o que a gente tá falando. Dá uma olhada:

O que você achou? Concorda com esse ponto de vista ou acha que não tem muita diferença?

Divide a sua opinião. Eu vou adorar saber o que você esta pensando.