Conceitos: tenha os seus!

Depois que escrevi o post da semana passada, Você cria expectativas?, e também a newsletter do VMC (se você ainda não assinou, tá perdendo um monte de conteúdo bacaninha. Se inscreve clicando aqui!), fiquei com vontade de continuar esse papo, falando um pouco sobre conceitos.

Na news da semana passada, eu escrevi sobre como é importante você descobrir o seu próprio conceito de sucesso e felicidade, e achei tão importante esse tema, que resolvi falar mais um pouco disso.

Deixa eu explicar primeiro do que eu to falando..

É assim.. durante toda a nossa vida, principalmente na infância e na adolescência, quando somos muito influenciáveis, todo mundo, nossos pais, nossos amigos, nossos professores, nossa família, a sociedade em geral, quer explicar pra gente o que é certo e o que é errado. Tudo bem.

O problema é que, com essa diferenciação vem um monte de conceito e de pré-conceito junto. Ao mesmo que eles dizem pra gente o que é certo e errado, no sentido da honestidade, também acabam nos dando conceitos de o que é certo e errado em relação a escolhas de vida.

É, por exemplo, quando seus pais e professores lhe dizem que a melhor escolha é fazer o curso X na faculdade Y, porque com esse diploma você está com a vida garantida.

Só que e se você não quiser fazer o curso X? Bem… melhor nem perguntar!

Deu pra entender mais ou menos?

A gente acaba internalizando os conceitos de outras pessoas, que também aprenderam com outras pessoas o que é considerado certo, do ponto de vista do aceitável pela sociedade.

“Todo mundo diz que fazer faculdade é o caminho do sucesso, fazer tal faculdade é o caminho mais certo ainda pro sucesso, ter um emprego é o primeiro passo do sucesso, e se for no serviço público é sucesso garantido.

Quando você compra seu imóvel, quando você troca de carro todo ano, quando você tem as bugigangas tecnológicas do momento, o celular da moda, o computador mais incrível. Tudo isso é sucesso.”

Só que, e se você não quiser ter um imóvel? Se você quiser passar o resto da sua vida viajando o mundo? Tem um bocado de gente fazendo isso… será, então, que eles não são bem sucedidos?

E aquele seu amigo que passou no concurso público mais disputado, com o melhor salário e agora não precisa mais se preocupar com dinheiro, mas que queria mesmo ser músico? Será que ele é bem sucedido?

Em qual dos dois casos, o sujeito é mais feliz?

Por isso que o título desse texto é tenha seus próprios conceitos.

E não só de sucesso. Tenha seu próprio conceito de felicidade, de amor, de trabalho, de tempo livre, de produtividade.

Se, depois de se analisar, você descobrir que você vive a perfeição da felicidade pra você, tendo seu próprio imóvel, uma família e fazendo churrasco com os amigos todo fim de semana, todo mundo vai achar que você é bem sucedido: você tem casa, trabalho, família e lazer. É um conceito aceitável de felicidade.

Mas e se você está vivendo a felicidade de verdade pra você, viajando pelo mundo, conhecendo todos os países, enquanto trabalha como ilustrador freelancer e outros bicos? Quer dizer que você não é bem sucedido porque você não tem um imóvel, não tem emprego fixo?

Entendeu?

05.25

Não estou aqui falando que um conceito é melhor que o outro. Pelo contrário, estou aqui falando que saber e definir um conceito de sucesso pra você mesmo é que é importante, não importa qual seja.

Do contrário, você vai passar a vida atrás de algo que nunca vai ser bom pra você e, portanto, você nunca vai se sentir bem sucedido de verdade.

Tem gente que se mata de trabalhar pra pagar aquela viagem escandalosamente cara pra passar 5 dias em um lugar muito gourmet do mundo, mas ela nem gosta de viajar. Morre de medo de avião e não gosta de sair de casa. De fora, ela e bem sucedida, já que conheceu aquele lugar que todo mundo bem sucedido vai, mas por dentro, ela está infeliz, porque tá fazendo algo que não gosta.

Cada pessoa é um ser único, cada pessoa tem seus próprios conceitos, mesmo que não saiba, cada pessoa gosta de coisas muito particulares. Não faz nenhum sentido, então, tentar moldar cada um de acordo com o que se considera normal, bom e aceitável pela sociedade como um todo.

Pra muita gente felicidade é trabalhar com o que ama, mesmo que não fica rico pra outras felicidade é ter segurança financeira. Pra alguns felicidade é ter riscos, para outros felicidade é virar CEO de tal empresa. Algumas pessoas querem ter seu próprio negócio, outros querem servir a sociedade trabalhando como concursado. Alguns não se importam com o que vão trabalhar, só querem poder sustentar sua família, outros não abrem mão de trabalhar com o que amam.

Por isso que vivo falando aqui sobre autoconhecimento, sobre saber o que você gosta, o que você não gosta, o que você quer e o que não quer, sobre se conhecer, sobre ir atrás de seus sonhos.

Quando você sabe tudo isso, fica mais fácil entender o que é sucesso e felicidade pra você, saber qual o estilo de vida e de trabalho que você quer ter, fica mais fácil planejar e executar um plano pra alcançar tudo o que você quer. E fica mais fácil saber também quando você fracassou, porque você sabe exatamente o que você não quer de verdade.

Repensar se esses conceitos que a gente comprou durante nossa vida e redescobrir seus próprio conceitos de felicidade, sucesso, trabalho e estilo de vida são passos importantes para começar a criar o esboço do estilo de vida que você deseja.

Vamo nessa então?