Precisamos falar sobre medo

Ééé… medo.

Todo mundo tem medo, é a coisa mais normal do mundo.

O medo taí pra proteger a gente de todos os perigos do mundo, pra deixar a gente alerta e perceber mudanças esquisitas e que podem nos prejudicar.

Mas o medo acaba “protegendo” a gente de coisas que podem não ser prejudiciais também. Que, pelo contrário, podem ser muito boas.

O medo nos deixa petrificados diante de mudanças, diante das coisas que a gente quer muito fazer, mas cujas consequências são desconhecidas.

Como estamos muito acostumados com o que conhecemos, por ficarmos muito tempo fazendo a mesma coisa de novo e de novo, por raramente sermos incentivados a mudar e tentar coisas novas, temos muito medo do desconhecido.

Mas acredito que o desconhecido é a fonte de todas as mudanças maravilhosas que podem acontecer em nossas vidas.

Imagina só se você continuar fazendo a mesma coisa que você está fazendo agora ou só repetir para sempre o que os seus pais fizeram. Você vai ter os mesmos resultados, não é mesmo?

E para ter resultados diferentes, você precisa fazer coisas diferentes.

Parece óbvio (e é mesmo), mas as vezes a gente precisa escutar o óbvio.

Certamente, você não vai conseguir mudar as coisas que você quer mudar, fazendo as mesmas coisas todos os dias. É preciso fazer diferente, testar, experimentar, criar.

E fazer todas essas coisas dá medo, porque você nunca sabe o que você vai fazer, você nunca sabe o que essas coisas vão se tornar, você nunca sabe se elas vão dar certo ou não.

E o medo traz junto a resistência, aquela coisinha chata que fica dentro da gente, impedindo a gente de fazer qualquer coisa que você não sabe o que é.

Ela fica lhe fazendo ver vídeos no Youtube, passar horas no Facebook, ver TV além da conta, pra que você gaste seu tempo com coisas que você já conhece, na esperança de você esquecer ou não ter tempo de fazer aquela coisa que você não sabe muito bem o que é.

E aí você deixa de fazer coisas que você quer muito fazer, às vezes até deixa de fazer coisas que vão lhe deixar mais perto de alcançar os seus sonhos, por puro medo do desconhecido.

O medo sempre vai existir e ele sempre vai rondar a gente, principalmente quando você resolver fazer coisas que você quer muito, mas que não sabe bem como vão funcionar.

Mudar de emprego, mudar de carreira, perseguir aquele sonho, viver do que você ama, ser o criativo e artista que você é, viajar o mundo, se mudar, ter um negócio.

Cabe à gente perceber quando o medo está nos impedindo de seguir em frente e quando a resistência está tentando manter a gente no lugar de sempre e se perguntar se vale a pena ficar ou se é melhor sair do lugar.

Lembre sempre que o medo é um lugar escuro e que basta um pouquinho de luz para que ele comece a se dissipar e ir embora, levando a resistência consigo, então basta apenas iluminar o desconhecido um pouco.

Do que você tem medo?

O que o medo está lhe impedindo de fazer?

Que oportunidades você está deixando de aproveitar por medo?